Estamos todos intoxicados

Estamos todos intoxicados

Conceição Trucom *

A saúde verdadeira é uma experiência de viver a longevidade com qualidade, lucidez e alegria de viver. Mas, a vida acontece a partir de um instrumento (um templo), que é aquele que viabiliza tudo o que viemos realizar na Terra: nosso corpo físico. Seu companheiro 24 horas/dia.

Quando cuidamos dele estamos dando base e sustentação aos desafios da humanidade: equilíbrio emocional e mental, porque está tudo integrado.

Sempre esquecemos que, enquanto aqui na Terra, tudo começa no corpo físico e nele termina. Achamos que para vivenciar a espiritualidade podemos dispensar o corpo. Mas, quanto mais elevada uma construção, mais profundas precisam ser suas fundações.

Neste descaso para com o corpo e sua linguagem, todos nós temos algum tipo de dor seja ela emocional, física ou espiritual. É por isso que todos necessitamos da cura, mas não de uma parte do corpo e sim, da saúde plena.

Quando o organismo está em equilíbrio e aquilo que ingerimos (qualidade e quantidade) não excede aquilo que eliminamos (ou transmutamos), podemos ser flexíveis, viver sem dogmas ou disciplinas rígidas. Quando esse equilíbrio se rompe ou não existe, os sintomas da intoxicação logo nos avisam que algo não está exatamente bem. Sentimos isso no coração.

Fala-se muito da doença como um alerta, mas há um ditado que afirma que Deus tenta o tempo todo nos ajudar a crescer. Mas, quando não reconhecemos sua ajuda pelo Amor ele não tem outra alternativa e nos ajuda pela Dor. E a doença é um aprendizado pela dor, pela falta de respeito e comunicação com o corpo.

Neste caso, doença é um alerta: "Onde você está querendo chegar com suas decisões, escolhas e atitudes? Eu não estou mais conseguindo administrar tantas dificuldades."

A doença é, entre outras coisas, uma tentativa desesperada do organismo para se livrar das substâncias tóxicas, produto das tantas adversidades a ele impostas, por dias, meses e anos. No livro Saúde pela Alimentação, Arnold Ereth ensina nos "Princípios Preliminares" que toda enfermidade é constipagão ou obstrução. Eu vou além e afirmo que toda enfermidade vem de um organismo em algum grau de constante acidificação, com dificuldades para digerir o que lhe acontece no plano físico, emocional, mental ou espiritual.

Para a maioria de nós a dor e falta de energia são a real manifestação do caos gerado pela intoxicação generalizada que nos separa da serenidade metabólica, origem de nossa energia, capacidade de defesa e criação.

Existe também uma poluição social onde o que vemos e ouvimos nem sempre está de acordo com o mundo equilibrado e pacífico, no qual gostaríamos de estar vivendo. Agredidos e sem defesas - doentes - tentamos erradamente nos esconder da vida, ou seja, por que levantar pela manhã e enfrentar a labuta do dia?

Esse é o motivo pelo qual nos sentimos como se não tivéssemos motivo suficiente para vivermos. O estado comum é: esgotados, exaustos, "emburrecidos", inseguros, ansiosos, vulneráveis, impotentes, irritados, "subnutridos" e tristes.

Sob estresse emocional nos sentimos sobrecarregados de insatisfação, desequilíbrios, carências e da sensação de estarmos fora de controle. Pode ser um relacionamento doentio, um trabalho por demais estressante ou um estilo de vida superficial que provoca subnutrição e frustrações. Sem dúvida, são muitos altos e baixos sem o tempo e condições necessárias para "digerir" tantos desafios.

Já "in-sanos", buscamos a sedação com a ingestão de mais alimentos indigestos e acidificantes: gordurosos, repletos de açúcar, industrializados, refinados, conservados quimicamente, muito cozidos e às vezes, contaminados com agrotóxicos.

Estamos intoxicados até espiritualmente porque com tantos estímulos sócio-culturais, preocupados demais com o externo, onde ficou o tempo para a comunicação com o interno? Diariamente nos sentimos com preguiça de pesquisar dentro de nós o que é realmente nosso, de buscar os verdadeiros valores e ter fé em nós mesmos.

Some-se a tudo isso a inegável poluição ambiental. O ar que respiramos e a água estão repletos de substâncias químicas e gases tóxicos. Para complicar, quanto mais intoxicados pior respiramos. Conclusão: Falta energia, lucidez, agilidade mental, memória e pensamentos positivos.

Chega! Chega! Chega! Isso já está com cheiro de terrorismo!

O que fazer? Não posso mudar o mundo. Mas, Eureka! Posso mudar o meu mundo!

O que entra e nos prejudica deve necessariamente sair. Tudo o que é velho e não tem mais utilidade (revisão de crenças e paradigmas) é obrigatório que saia o mais rápido possível. E o que entrar no lugar do que saiu pode ser mais digesto? Mais alcalinizante? Mais desintoxicante?

Bem, como na famosa Lei de Murphy: "Nada é tão fácil como parece". Muitas toxinas que entram no corpo, espírito ou mente não saem com facilidade. E, muitas vezes, num perfeito ato de sabotagem, somos nós mesmos quem as impedimos de "sair". Nos apegamos ao ruim "conhecido" em prol do medo do desconhecido.

Talvez não as possamos ver ou ter esta consciência, mas isso não significa que não estejam ali. Mesmo invisíveis, podemos senti-las todos os dias, como fadiga, doença, raiva, depressão ou estresse. Estes são os sintomas. Como dor de cabeça, nas costas, erupções na pele, ansiedade e falta de esperança. Elas nos impedem de dormir ou nos fazem dormir demais. Nos tiram força, resistência e alegria de viver. Onde fica o "tesão" e a significância da vida?

É hora de fazermos alguma coisa. É hora de recuperarmos e mantermos a energia, regenerarmos o corpo, curarmos a psique, o emocional e reacendermos o nosso espírito.

Desintoxicar a vida começa pela alcalinização dos nossos líquidos corporais. Pela escolha de alimentos e hábitos que sejam integrais, sanos, felizes.

Desintoxicar a vida significa ser capaz de tirar todo o lixo do sangue, coração e mente, para estar centrado DIARIAMENTE. Viver a possibilidade de enfrentar todos os desafios do dia-a-dia com sensação de superação por não perder o foco, a luz, a meta.

Desintoxicar a vida significa ter a coragem e a determinação de aprender - e praticar - como "deixar sair" os lixos ácidos, confiando que o "novo" será tudo o que é necessário para continuar crescendo, num corpo lúcido, saudável, inteligente e pleno.

Desintoxicar a vida significa resgatar as suas verdades e valores e, alegremente, se desidentificar dos modelos e condicionamentos invertidos do mundo.

Desintoxicar a vida significa Ser livre.


 

Lojas Doce Limão

Os livros da Conceição Trucom e os produtos do Doce Limão podem ser encontrados em nossas lojas parceiras. Clique e adquira já.

 

 

 

 


* Conceição Trucom
 é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para alimentação natural, bem-estar e qualidade de vida.

Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações e citadas a autora e a fonte: www.docelimao.com.br

Cadê o leite que estava aqui?

Conheça o curso online

Vamos ser amigos?

Inscreva-se para receber gratuitamente o Boletim Doce Limão e ainda leve de brinde a Apostila de Meditação, em formato PDF.

Se além disso você também deseja ter acesso a todos os nossos cursos online e conteúdos exclusivos, seja um Assinante Doce Limão. Clique aqui!

Siga-nos no Facebook

Clique aqui para conferir todos os eventos.

Comentários e perguntas

 Caro leitor,

Ficou com alguma dúvida sobre este artigo? A área de comentários e perguntas é exclusiva para assinantes Doce Limão. Por apenas R$ 15 mensais, você terá acesso a todo conteúdo exclusivo, como palestras, cursos online e muito mais, além de poder enviar perguntas, que serão respondidas pela Conceição Trucom e equipe.

 

Saiba mais e assine