Azeite de Abacate
Categoria: Abacate & frutas

Azeite de abacate atenua males causados pela obesidade, aponta tese

Estudo iniciado no Brasil e concluído na Suécia mostra a importância da ingestão de gorduras saudáveis e sugere os benefícios do consumo do fruto.
Carmo Gallo Netto - Fotos: Aantoninho Perri 

Depois de um fim semana com uma dieta rica em gorduras, não raro as pessoas sentem-se profundamente culpadas e prometem compensar o exagero consumindo folhas e legumes no decorrer da semana. Certamente lastimam-se pela falta de um antídoto para controle imediato de marcadores metabólicos como os dos colesteróis, dos triglicérides, da glicemia. Mas ele existe, e é também uma gordura, por paradoxal que possa parecer. Trata-se do azeite de abacate extraído da polpa do fruto.


Nossos boletins são ricos em conteúdo. Acesse todos os já enviados aqui.

Conheça o curso online

Por Conceição Trucom

Bendita ÁGUA

Bendita ÁGUA

Desde a Antiguidade é conhecido o potencial renovador e curativo da água. Ela exerce efeitos terapêuticos não apenas interna, mas também ao ser usada externamente em banhos e compressas. Combate as mais variadas doenças, dores, traumatismos, e auxilia no tratamento de distúrbios emo­cionais. Além de revita­lizar, a água possibilita maior circulação de energias curativas.

 

A água é elemento fundamental não só à própria vida, mas à saúde física e psíquica. É, por excelência, veículo para condução e armazenamento de cargas elétricas e magnéticas, tanto construtivas quanto destrutivas:

  • Quando pura, conduz energias universais de vitalidade, transformação, sutilização e elevação;
  • Quando poluída, é meio de proliferação de microorganismos, doenças e vibrações inferiores.

Como na filosofia da Alimentação Desintoxicante, a água é uma ferramenta de limpeza e sutilização do corpo físico. Quanto melhor hidratado está um organismo, mais desintoxicado ele será, menos denso, menos lastros, mais leveza, mais aliviada permanecerá cada célula, órgão ou sistema.

Contudo, a falta de maior entendimento do homem sobre a necessidade de interação harmoniosa com a natureza tem posto em risco essa fonte de saúde e vida, bem como todo o planeta. Muito embora alguns tenham despertado para isso, a grande maioria permanece inconsciente, e o que em geral se vê é falta de respeito para com esse sagrado líquido. A destruição paulatina do meio ambiente, incluindo o desmatamento, a contaminação das nascentes, dos rios, dos lagos e dos oceanos, provoca desequilíbrios de graves proporções, que o homem se tem negado a considerar.

O mau uso que fazemos da água, desperdiçando-a e sujando-a desnecessariamente, interfere no equilíbrio do reino mineral e também no equilíbrio deste com outros reinos da natureza. Urgente seria todos aprenderem a usar a água corretamente, mas há bem poucos sinais de que isso vá acontecer em âmbito global. No entanto, já existem aqueles que estão mais conscientes e estão dispostos a agir de maneira construtiva. Nunca se sabe que repercussões isso pode ter, pois a natureza é pródiga em respostas, embora nem sempre as dê de imediato.

Segundo Peter Russel em O despertar da Terra (Editora Cultrix), chegará um momento de massa crítica, quando o nível de consciência chegará a um ponto, onde as mudanças planetárias serão analógicas, ou seja, transcenderão a lógica da previsibilidade cartesiana. E, para esta massa crítica ser alcançada algumas atitudes básicas são indispensáveis:

  1. Conservar as nascentes, protegê-las do desmatamento, da contaminação e de lixos de qualquer espécie.
  2. Plantar mais árvores e evitar a destruição das existentes.
  3. Não jogar lixo e materiais no mar, tampouco em lagos, rios e riachos.
  4. Ser grato à natureza, que se doa incondicionalmente.
  5. Usar a água sem desperdício.

Muitos dizem: "Se a grande maioria não se importa com o que está acontecendo no planeta e não adota essas atitudes, se as águas continuam sendo poluídas por esgotos, pela mineração, por detritos industriais e outras substâncias, adianta fazer alguma coisa? Minha ação é insignificante".

Em vista disso, lembramos aqui a fábula do beija-flor que uma vez, em meio a um incêndio florestal, ia ao rio, pegava um pouquinho de água no bico e voava em direção ao fogo. Lá chegando, lançava aquela água sobre as chamas e retornava ao rio para buscar mais. Havia feito esse trajeto centenas de vezes, quando outra ave lhe disse: "Não percebe quão inútil é esta sua atitude? Já viu a proporção do incêndio? Você nunca vai conseguir apagá-lo!"

Ao que o beija-flor respondeu com serenidade: "Estou fazendo minha parte. Se cada um fizer a sua, em poucas horas o incêndio estará contido".

Além dos efeitos práticos que podem advir dessa conscientização, jamais poderemos avaliar a repercussão de um simples ato de amor, aparentemente inútil.  


Como produzir sua água potável

Seria bom beber água sem impurezas e com pouca quantidade de sais. Água saudável é a que conserva sua energia natural, ou seja, é a rica em oxigênio livre, à semelhança da água de cachoeira, onde existe agitação e forte atrito das partículas.

Do ponto de vista prático, devem-se conhecer as características de uma água potável e as de uma água contaminada. A água potável é clara, limpa e sem cheiro, dissolve bem o sabão, cozinha bem os alimentos e não causa sensação de peso no estômago após ingerida.

A água contaminada tem características opostas. Pode conter resíduos de dejetos humanos, de animais ou resíduos industriais por perto de onde é colhida. Tal é o caso das águas próximas de estábulos, pântanos, fossas e terrenos poluídos. A má conservação de encanamentos e reservatórios ou a grande quantidade de algas na superfície também são indício de contaminação.

Quando se percebe o risco de uma água estar contaminada por bactérias e microorganismos, pode-se filtrá-la e depois fervê-la por 15 a 30 minutos. Após fervida, é bom vertê-la de uma vasilha a outra, várias vezes, para oxigená-la.

Importante lembrar que ferver a água é um recurso de emergência para viabilizar o consumo diante catástrofes, etc. Ou seja, é válido por alguns dias de consumo, porém em algum momento, o mais breve possível, voltar a consumir água natural. O ato de ferver uma água a torna 'morta' com todas as suas propriedades vitais anuladas.

A água de torneira permanece muito tempo nos reservatórios municipais e residenciais, perdendo assim o oxigênio livre. Além disso, costuma ser submetida a "tratamentos" em que lhe são acrescentadas substâncias químicas prejudiciais à saúde, embora oficialmente consideradas aceitáveis. Na maioria das vezes já não tem valor vital.

É recomendável usar filtros caseiros, tipo de barro com velas cerâmicas, para purificar essa água, embora não seja garantido que a deixem com melhor qualidade. Esses filtros apenas retiram as partículas de argila e outros macroelementos da água, mas não eliminam dela o cloro, os sulfatos, os defensivos agrícolas, os poluentes industriais e domésticos, as bactérias, e tampouco lhe devolvem o oxigênio perdido.

Lembrar: Qualquer filtro deve ser lavado periodicamente para evitar focos de cultura bacteriana.

Um recurso para purificar melhor a água a ser bebida é criar um filtro mais eficiente. Pode-se, para isso, reunir carvão, areia e cascalho.

O segundo recurso é a SOLARIZAÇÃO da água, mesmo que seja oriunda de uma água pura da nascente, porque irá sanear a água e torná-la mais estruturada e vital.
 

Filtro de carvão, areia e cascalho

Existe uma febre de comprar água mineral naqueles garrafões plásticos de 20 litros. Sem dúvidas, este é um super negócio.

Existe um outro grande negócio, que são os inúmeros tipos de filtros de água, sempre onerosos: um modelo para cada tipo de bolso.

No caso dos garrafões, pouco temos garantias de que aquela água é realmente potável e melhor que a água tratada de sua cidade. E pior, estamos incentivando a produção de toneladas de garrafões plásticos, que finalmente irão terminar em mais lixo não reciclável para o planeta. E, por último, chegará um dia em que ter dinheiro para comprar água não será suficiente.

Portanto, sugiro que aprendamos a tratar nossa água de cada dia desde já. Veja como é simples:

Fazer um orifício próximo à base de um garrafão e adaptar ali uma torneira bem vedada com arruelas de borracha e cola de silicone; a torneira deve ser precedida de uma pequena rede à guisa de peneira. (Eu usaria um filtro de barro para tal construção.)

  1. Utilizar pedras ou cascalhos arredondados, de mármore, de cristais de quartzo ou de rocha; devem ser separados conforme por tamanho.
  2. Utilizar carvão vegetal puro (encontrado em lojas especializadas em aquários e filtros).
  3. Utilizar areia grossa e areia fina, previamente lavadas e esterilizadas. Para isso, deixá-las em fervura durante 20 minutos.
  4. Proceder a acomodação das camadas dos componentes, iniciando-se com as mais grossas e passando às mais finas, alternando carvão e cascalho. As camadas devem ter em torno de cinco centímetros de espessura; é preciso acomodá-las com cuidado, socando-as bem.
  5. Fazer a água de um filtro comum doméstico penetrar na parte superior do garrafão; enchê-lo, mantendo a torneira de saída fechada.
  6. Deixar o garrafão cheio durante uma hora e depois abrir a torneira de saída, mantendo a de entrada também aberta. Permitir que a água corra livremente por mais uma hora, para acomodar bem as camadas. 

No começo a água pode ficar com gosto de carvão, mas após alguns dias seu sabor será excelente; não sairá escura, mas cristalina. O material deve ser trocado quando o gosto da água se tornar de novo semelhante ao de água de torneira, o que, no entanto, pode demorar vários meses a acontecer.

Ao passar por esse filtro, a água é bem oxigenada porque se choca com muitos obstáculos, embora não chegue a ficar tão rica em oxigênio livre quanto a natural. Não é totalmente purificada, mas perde mais de 80% dos agentes estranhos.
E, para vitalizar ainda mais sua água:

  • Acrescente ramos de ervas frescas.
  • Coloque cristais como quartzo branco, malaquita ou hematita.
  • Coloque música clássica ou new age ao lado do filtro.


(*) Texto extraído e adaptado por Conceição Trucom dos livros:

Ação Imediata em Emergências – Fabian Missiano – Editora Cultrix/Pensamento

O Despertar da Terra - Peter Russel - Editora Cultrix


Assine o Doce Limão

1
mês
Assinatura mensal
R$ 20,00 /mês
Cobrança automática no cartão
Assinar
6
meses
Assinatura semestral
R$ 120,00
R$ 110,00
À vista no cartão ou boleto
Comprar
12
meses
Assinatura anual
R$ 240,00
R$ 200,00
À vista no cartão ou boleto
Comprar

 

Lojas Doce Limão

Os livros da Conceição Trucom e os produtos do Doce Limão podem ser encontrados em nossas lojas parceiras. Clique e adquira já.

 


* Conceição Trucom
 é química, pesquisadora, palestrante e escritora sobre temas voltados para alimentação natural, bem-estar e qualidade de vida. Possui 10 livros publicados, entre eles O Poder de Cura do Limão (Editora Alaúde), com meio milhão de cópias vendidas, Mente e Cérebro Poderosos (Pensamento-Cultrix) e Alimentação Desintoxicante (Editora Alaúde).

Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações e citadas a autora e a fonte: www.docelimao.com.br

Vamos ser amigos?

Inscreva-se para receber gratuitamente o Boletim Doce Limão e ainda leve de brinde a Apostila de Meditação, em formato PDF.

Se além disso você também deseja ter acesso a todos os nossos cursos online e conteúdos exclusivos, seja um Assinante Doce Limão. Clique aqui!

Clique aqui para conferir todos os eventos.