Como a meditação pode ajudá-lo a cometer menos erros

Fonte Science Daily em NOV 2019
Autores Jeff Lin, Willim Eckerle, Ling Peng e Jason Moser
Tradução especial para Doce Limão: Professional Translations

Meditar apenas uma vez prova fazer a diferença. Se você é esquecido ou comete erros quando está com pressa, um novo estudo da Michigan State University - o maior do gênero até hoje - descobriu que a meditação pode ajudá-lo a se tornar menos propenso a erros.

A pesquisa, publicada na Brain Sciences, testou como a meditação de monitoramento aberto – ou meditação que concentra a consciência em sentimentos, pensamentos ou sensações à medida que se desdobram na mente e no corpo – alterou a atividade cerebral de uma maneira que sugere um aumento no reconhecimento de erros.

“O interesse das pessoas em meditação e atenção plena, está superando o que a ciência pode provar em termos de efeitos e benefícios”, disse Jeff Lin, doutorando em psicologia da MSU e co-autor do estudo. 

“É incrível para mim que sejamos capazes de observar como uma sessão de meditação guiada pode produzir mudanças na atividade cerebral em pessoas não habituadas na prática da meditação”.

As descobertas sugerem que diferentes formas de meditação podem ter diferentes efeitos neuro-cognitivos. Lin explicou que há pouca pesquisa sobre como a meditação de monitoramento aberto afeta o reconhecimento de erros.

“Algumas formas de meditação fazem você se concentrar em um único objeto, geralmente sua respiração, mas a meditação de monitoramento aberto é um pouco diferente”, disse Jeff Lin

"Isso faz com que você se sintonize e preste atenção em tudo o que está
acontecendo em sua mente e corpo. O objetivo é sentar-se em silêncio e
prestar muita atenção para onde a mente viaja sem ficar muito preso no cenário."

Lin e seus co-autores da MSU – William Eckerle, Ling Peng e Jason Moser – recrutaram mais de 200 participantes para testar como a meditação de monitoramento aberto afetava a forma como as pessoas detectam e respondem a erros.

Os participantes, que nunca haviam meditado antes, foram submetidos a um exercício de meditação de monitoramento aberto de 20 minutos, enquanto os pesquisadores mediam a atividade cerebral por meio de eletroencefalografia (ou EEG). Em seguida, eles completaram um teste de distração computadorizado.

"A EEG pode medir a atividade cerebral no nível de milissegundos, então obtivemos medidas precisas da atividade neural logo após os erros em comparação com as respostas corretas", disse Lin: "Um certo sinal neural ocorre cerca de meio segundo após um erro chamado positividade do erro, que está ligado ao reconhecimento consciente do erro. Descobrimos que a força desse sinal é aumentada nos meditadores em relação aos participantes de controle."

Enquanto os meditadores não tiveram melhorias imediatas no desempenho real da tarefa, as descobertas dos pesquisadores oferecem uma janela promissora para o potencial da meditação sustentada.

"Essas descobertas são uma forte demonstração do que apenas 20 minutos de meditação pode fazer para aumentar a capacidade do cérebro de detectar e prestar atenção aos erros", disse Moser. 

“Isso nos faz sentir mais confiantes no que a meditação da atenção
plena pode realmente ser capaz de fazer para o desempenho e o
funcionamento diário ali mesmo no momento”.

Embora a meditação e a atenção plena tenham ganhado grande interesse nos últimos anos, Lin está entre um grupo relativamente pequeno de pesquisadores que adotam uma abordagem neuro-científica para avaliar seus efeitos psicológicos e de desempenho.

Olhando para o futuro, Lin disse que a próxima fase da pesquisa será incluir um grupo mais amplo de participantes, testar diferentes formas de meditação e determinar se as mudanças na atividade cerebral podem se traduzir em mudanças comportamentais com mais prática de longo prazo.

"É ótimo ver o entusiasmo do público pela atenção plena, mas ainda há muito trabalho de uma perspectiva científica a ser feito para entender os benefícios que ela pode ter e, igualmente importante, como ela realmente funciona", disse Lin. "É hora de começarmos a olhar para isso através de uma lente mais rigorosa”.




Use nossa loja virtual Doce Limão para saber de todas as PROMOS E COMBOS.


Assine o Doce Limão

Você gosta do nosso conteúdo? Seja um embaixador do Doce Limão e contribua para que ele continue sendo produzido! Além disso, você tem acesso a todo conteúdo de assinante: 11 cursos online (incluindo o Cosmética Natural), palestras, vídeos, receitas, e-books, suporte e muito, muito mais.
1
mês
Assinatura mensal
R$ 20,00 /mês
Cobrança automática no cartão
Assinar
6
meses
Assinatura semestral
R$ 120,00
R$ 110,00
À vista no cartão ou boleto
Comprar
12
meses
Assinatura anual
R$ 240,00
R$ 200,00
À vista no cartão ou boleto
Comprar

 

Loja Doce Limão

Os livros da Conceição Trucom e os produtos do Doce Limão podem ser encontrados em nossa loja. Clique e adquira já.


* Conceição Trucom
 é química, pesquisadora, palestrante e escritora sobre temas voltados para alimentação natural, bem-estar e qualidade de vida. Possui 10 livros publicados, entre eles O Poder de Cura do Limão (Editora Alaúde), com meio milhão de cópias vendidas, Mente e Cérebro Poderosos (Pensamento-Cultrix) e Alimentação Desintoxicante (Editora Alaúde).

Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações e citadas a autora e a fonte: www.docelimao.com.br

 

Vamos ser amigos?

Inscreva-se para receber gratuitamente o Boletim Doce Limão e ainda leve de brinde a Apostila de Meditação, em formato PDF.

Se além disso você também deseja ter acesso a todos os nossos cursos online e conteúdos exclusivos, seja um Assinante Doce Limão. Clique aqui!

Siga-nos no Facebook

Clique aqui para conferir todos os eventos.

Comentários e perguntas

 Caro leitor,

Ficou com alguma dúvida sobre este artigo? A área de comentários e perguntas é exclusiva para assinantes Doce Limão. Por apenas R$ 20 mensais, você terá acesso a todo conteúdo exclusivo, como palestras, cursos online e muito mais, além de poder enviar perguntas, que serão respondidas pela Conceição Trucom e equipe.

 

Saiba mais e assine