Alerta: maus hábitos posturais

Conceição Trucom *

Parar e observar a forma como praticamos pequenas coisas em nossa rotina é, sem dúvida, algo que passa desapercebido para a grande maioria das pessoas. Uma atenção e pequenos cuidados podem melhorar nossa qualidade de vida, a postura saudável de nossos filhos, trazendo bem estar e minimizando possíveis patologias.

Começa pela escolha da roupa, do sapato adequado e confortável, assim como optar por uma mochila não muito pesada. E, certamente que devemos observar a qualidade da pele, unhas, cabelo e dentes de todos nós. Não só a questão do asseio, mas o brilho, viço ou fragilidade. Mas, não podemos esquecer de prestar atenção em questões posturais como:

  1. Altura dos ombros: igual? Inclinados para um dos lados (escoliose)? Qual lado?
  2. Joelhos: dobram da mesma forma? Extendem-se para trás (hiperextensão)? São similares?
  3. Coluna: postura sempre com a cabeça e ombros arqueados para frente (cifose ou hipercifose)? Ou com o bumbum muito empinado para trás (hiperlordose)?

Estas observações estão na nossa frente apontando uma desarmonia, mas que pais e professores não estão preparados para enxergar como um problema postural, que se não tratado a tempo, poderá desencadear problemas no futuro. A observação pode ser mesmo indireta, por exemplo, pela forma como estão gastos os calçados: gasta somente um dos pés? Gasta para dentro? Gasta para fora?

A coluna vertebral – ossos - funciona como um tronco de uma árvore, mas quem lhe dá movimento são os músculos e tendões, que devem ser fortes, tônicos e flexíveis. Qualquer alteração ou descompensação acarretará em desequilíbrio, que para compensar descompensa na postura (acentuação de curvaturas), e assim vai até cristalizar numa patologia mais grave.

A maioria dos problemas de coluna são causados pelos vícios posturais e pela má conduta de postura. A musculatura do tronco é estática, ou seja, utilizada apenas para sustentação e não para mobilidade, como pernas e braços. Seu movimento é realizado quando estimulado, sendo assim, quanto menos movimentá-lo, mais fraco se tornará e mais dificuldade haverá ao realizar o movimento.

Devemos começar a observar – e evitar - desde o posicionamento do berço, algo muito importante, pois a criança sempre irá perceber e procurar a luz e o barulho, muitas vezes virando a cabeça sempre para o mesmo lado, bem como seu corpo. O certo é posicionar o berço de tal forma que a criança não precise fazer esforço algum para enxergar a luminosidade (nem acima, nem atrás, nem ao lado), e os pés da criança fiquem de frente para a porta.

Na fase de crescimento e desenvolvimento é primordial ela que tenha uma postura adequada, para que seus músculos se formem fortes e sua estrutura óssea íntegra. Portanto, várias transformações podem ser evitadas, se notadas ou prevenidas precocemente.

A prevenção de atitudes prejudiciais, somada ao controle de equilíbrio das necessidades corporais, alcançam um resultado satisfatório.

Problemas posturais comuns em crianças

Hipercifose – ombros fletidos para a frente e cabeça fletida para baixo.

Este quadro é comum em crianças acanhadas, envergonhadas e que sentam muito errado, como no computador ou no hábito diário de jogar vídeo games. Na adolescência, este quadro é mais comum em meninas, pela vergonha e necessidade de proteger ou esconder as mamas.

Hiperlordose – bumbum empinado para trás.

Embora seja bem visto pela cultura brasileira, este é um quadro comum de má postura, obesidade e fragilidade da musculatura abdominal. Existe, embora menos comum, muitos casos de meninos com este problema. Alguns esportes, como o balé e a natação, podem agravar este quadro, e o profissional responsável, assim como os pais, deverão estar atentos, na forma de evitar agravamentos.

Escoliose – ombro caído para um dos lados

Causada principalmente pela utilização de bolsas ou mochilas em um ombro só, puxar mochila de rodinha ou “andar com gingado”.

Todos estes problemas posturais se não forem tratados, irão, ao longo do crescimento, aumentando as tensões, as compensações e curvaturas. Dores localizadas irão surgir cada vez com maior frequência, além de sinais de enfraquecimento abdominal, atonias musculares e comprometimentos da coluna, do movimento e da disposição.

Concluindo

Todos esses fatores devem chamar a atenção dos pais e parentes, para assim, recorrerem a um profissional para que haja uma investigação e boa orientação.

Um alerta: muitos pais (ou parentes) ficam realizados em implementar a prática de um esporte no cotidiano de seus filhos (sobrinhos, netos, etc). Demandam grande energia econômica (custo, uniformes, etc.) e de tempo (levar, pegar, etc.) para realizar este sonho “saudável”. Mas, é preciso estar atento sobre a existência de algum dos problemas posturais mencionados acima, pois o esporte praticado sem integrar a devida correção postural, irá agravar ou até deixar seqüelas.

O primeiro passo a ser tomado é procurar um médico especializado em ortopedia para que sejam realizados exames específicos e avaliadas as reais condições de comprometimento postural.
Outro passo importante é consultar um fisioterapeuta especializado em RPG (Reeducação Postural Global), para que se faça uma reconstrução de sua postura, com reeducação via conscientização dos seus hábitos de movimento e postura.

Mais um alerta: quanto mais cedo for detectado o problema postural, mais fácil será sua correção e cura.

Consultoria da Dra. Ana Paula B. Andrade- Formada em Educação Física pela Universidade Unimonte (Santos/SP) e em Fisioterapia pela Universidade Unimes (Santos/SP).


 

Lojas Doce Limão

Os livros da Conceição Trucom e os produtos do Doce Limão podem ser encontrados em nossas lojas parceiras. Clique e adquira já.

 


* Conceição Trucom
 é química, pesquisadora, palestrante e escritora sobre temas voltados para alimentação natural, bem-estar e qualidade de vida. Possui 10 livros publicados, entre eles O Poder de Cura do Limão (Editora Alaúde), com meio milhão de cópias vendidas, Mente e Cérebro Poderosos (Pensamento-Cultrix) e Alimentação Desintoxicante (Editora Alaúde).

Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações e citadas a autora e a fonte: www.docelimao.com.br