Alimentação Desintoxicante - Saúde à Mesa

Alimentação Desintoxicante - Saúde à Mesa

Por Sónia Rebelo - Saúde à Mesa - Portugal FEV 2011

De nacionalidade brasileira, Conceição Trucom é uma química preocupada com o bem-estar físico e emocional do ser humano, que decidiu dedicar a sua vida à divulgação da alimentação natural. Promove apaixonadamente o seu trabalho através de palestras, workshops, livros e site e é uma defensora acérrima da alimentação desintoxicante e do consumo de alimentos crus e vivos.

De visita a Portugal há uns meses para realizar um workshop e lançar um dos seus livros em versão portuguesa, a cientista falou à Saúde à Mesa sobre a sua proposta alimentar.

Saúde à Mesa: Fale-nos um pouco sobre o seu percurso profissional?

Conceição Trucom: Os meus pais sempre me incutiram uma vertente saudável e desde cedo que lido com uma alimentação mais natural. Sempre fui, portanto, uma pessoa naturalmente eco sustentável, apesar que não tinha consciência disso. Sou formada em química. Costumo dizer que os químicos são os grandes cozinheiros, na verdade o laboratório é uma cozinha. Paralelamente à minha profissão, eu era também uma criadora de receitas saudáveis, sobretudo depois de ter os meus filhos. Porém esta parte da minha vida foi crescendo e chegou a um momento em que tive de decidir entre continuar a ser química ou dedicar-me à alimentação natural. Então optei dedicar-me aos estudos da alimentação. Devido à minha formação como química e cientista, sempre gostei muito de ler e de estudar medicinas mais antigas, como a fitoterapia e outros "caminhos" relacionadas com as medicinas alternativas milenares. Estudei então Medicina Ayurvédica e Medicina Tradicional Chinesa e, aos poucos, e de modo muito fluido, isto foi passando de algo pessoal e doméstico para algo mais partilhado e profissional. Comecei a fazer cursos, nos quais distribuía apostilas com receitas que, entretanto, deram origem aos livros que tenho publicado por todo o mundo.

SM: Que tipo de alimentação divulgas?

CT: O meu trabalho é basicamente, desde o ano 2000, sobre alimentação desintoxicante e essa se tornou o primeiro passo da proposta alimentar. No início comecei por propor uma alimentação mais equilibrada, sugerindo menus para almoços e jantares. Depois percebi que as pessoas precisavam desintoxicar o organismo antes de começarem a praticar uma alimentação mais natural. Elas precisam de ter mais lucidez, mais discernimento e maior capacidade de fazer escolhas mais assertivas nas suas vidas. Não adianta sugerir uma alimentação equilibrada a uma pessoa que não está desintoxicada, pois ela não vai conseguir assimilar a informação e comprometer-se com ela. Essa desintoxicação é um gênero de banho interno que tem de ser feito todos os dias, de manhã e em jejum, e é feito à base de sucos. À medida que a pessoa faz a desintoxicação, vai começando a sentir uma vontade de fazer novas escolhas alimentares e assumir compromissos com a vida, com o futuro, etc. É um processo lento e gradual, e cada pessoa tem o seu ritmo e velocidade. Esta desintoxicação é indispensável e tem de ser eterna porque nós vivemos atualmente num mundo complexo, intenso, denso e intoxicante em que temos de absorver num só dia a informação que há 100 anos era absorvida ao longo de uma vida inteira.

Depois no dia-a-dia eu sugiro uma alimentação mais crua e viva, em que os produtos de origem animal começam a ser evitados. Mas a minha proposta não é nada radical, nada tem de ser a 100%. Eu acredito que cada um tem de fazer a mudança à sua maneira, sem grandes expectativas. A idéia é chegar a uma altura em que praticamente não tenhamos de recorrer ao alimento animal, ou pelo menos não fazê-lo diariamente como acontece hoje em dia, quer seja por razões de saúde ou filosóficas, e que se aumente o consumo de alimentos do reino vegetal.

Trata-se então de uma alimentação crua e viva. Não confundir com fria pois neste tipo de alimentação existem pratos amornados muito agradáveis, preparados em tachos de barro ou pedra e mexidos com as mãos, que funcionam como termômetros e dizem-nos quando devemos parar de aquecer a comida. A temperatura máxima a que os alimentos devem ser aquecidos é de 42 graus, evitando assim que se percam um mínimo de enzimas, vitaminas e água estruturada.

SM: Explique um pouco melhor como é feita a alimentação desintoxicante?

CT: A desintoxicação intensiva é toda líquida. A alimentação crua e viva que deve ser praticada nas principais refeições também é desintoxicante porque tem muita água estruturada e enzimas, e é muito digesta. Ajuda portanto na assimilação e limpeza do organismo. O banho interno diário de que falei anteriormente deve ser tomado em jejum e é composto por uma ou duas frutas (geralmente limão e outra fruta da época), verduras de folha (suco muito rico em energia solar), uma raiz (para ajudar a manter os pés no chão) e uma semente germinada (girassol, linhaça ou gergelim). A semente tem de ser "acordada", ou seja, tem de ficar a repousar em água durante toda a noite para que obtenha a energia de propulsão, de expansão. A semente é um alimento designado de biogênico, isto é, gera vida. Ela é adicionada aos demais ingredientes, tritura-se tudo, coa-se através de um coador de voil (ou organza), bebe-se e aguarda-se cerca de 20 a 30 minutos até à toma da refeição matinal (pequeno almoço). Este banho de limpeza ajuda a cicatrizar e a soltar mucos, a dissolver cristais e a tratar aquilo que está magoado. À medida que esta desintoxicação avança, começa a ganhar-se um novo paladar: o palato vai ficando mais preciso e mais exigente por alimentos que nos fazem realmente mais felizes, neutros e equilibrados. Algumas pessoas podem começar a notar isso ao fim de uma semana e outras ao fim de semanas ou meses. É importante optarmos pelos ingredientes disponíveis naquela época e no país em que vivemos para nos tornarmos eco sustentáveis.

SM: É verdade que os alimentos têm uma energia oculta/solar/cósmica?

CT: Ocorre um grupo de cientistas oriundos de todo o mundo que estão muito unidos na percepção de que existe muita energia a entrar no planeta. Hoje em dia já sabemos (temos consciência) que os alimentos são radiados por todas as energias da terra. As raízes, as sementes, as flores, as folhas e as frutas tem muita energia cósmica e solar. Quando se medem num alimento as calorias, as proteínas, os hidratos de carbono e a gordura, temos de ter em conta que essa é só a parte física do alimento. Temos tendência a valorizar apenas essa parte, mas hoje em dia sabemos que isso é apenas 10% daquilo que o alimento tem para nos oferecer. 90% está oculta e, na verdade, os astrônomos, os astrofísicos e os físicos quânticos sabem que essa parte é quantificável, embora não existam ainda instrumentos que a meçam com baixo custo. Mas de fato a grande energia que nós recebemos dos alimentos é essa que esta oculta e que nos ajuda a pensar, a refletir e a evoluir enquanto seres humanos.

SM: Quais os principais alimentos que considera imprescindíveis para uma alimentação saudável?

CT: Uma alimentação saudável deve ser composta por frutas, verduras de folha (couve, alface, rama de cenoura e beterraba, folhas da couve-flor e brócolis), legumes, ervas aromáticas, raízes (cenoura, bardana, gengibre, nabo) e sementes. As ervas dão mais sabor à nossa vida; as raízes são muito importantes porque nos ajudam a andarmos com os pés mais assentes na terra; e as sementes são um alimento com força de propulsão, que fazem sentir vontade de viver, de acordar e de crescer.

SM: Porque considera que o limão é um alimento indispensável à saúde?

CT: O limão é um alimento completo. É rico em açúcar - frutose, mas como também tem muito ácido cítrico e ácido ascórbico o seu sabor doce fica mascarado. O limão é a fruta, de todo o planeta, que mais energia do sol contém. Quando fazemos uso do limão, estamos a colocar um pouco de sol dentro de nós. Algumas pessoas resistem ao limão porque iluminar o interior é um ato de coragem. Nem todos estão preparados para fazer mudanças na vida e preferem ficar na zona de conforto. O limão é um alimento muito especial porque alcaliniza o nosso organismo, é ácido na língua, mas quando entra no nosso organismo passa a formar citratos que são agentes de alcalinização - que é a condição para sermos pessoas mais saudáveis, meditativas e serenas. Acho fundamental que se consuma pelo menos um limão por dia.

Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações, citada a autoria e a fonte www.docelimao.com.br 


 

Lojas Doce Limão

Os livros da Conceição Trucom e os produtos do Doce Limão podem ser encontrados em nossas lojas parceiras. Clique e adquira já.

 

 

Vamos ser amigos?

Inscreva-se para receber gratuitamente o Boletim Doce Limão e ainda leve de brinde a Apostila de Meditação, em formato PDF.

Se além disso você também deseja ter acesso a todos os nossos cursos online e conteúdos exclusivos, seja um Assinante Doce Limão. Clique aqui!

Siga-nos no Facebook

Clique aqui para conferir todos os eventos.

Comentários e perguntas

 Caro leitor,

Ficou com alguma dúvida sobre este artigo? A área de comentários e perguntas é exclusiva para assinantes Doce Limão. Por apenas R$ 20 mensais, você terá acesso a todo conteúdo exclusivo, como palestras, cursos online e muito mais, além de poder enviar perguntas, que serão respondidas pela Conceição Trucom e equipe.

 

Saiba mais e assine